Um Abismo

domingo, novembro 25, 2007

NOITE MAIS ESCURA

cheira a chuva no sobrado restaurado
deste quarto e é nele que estendo
as folhas da língua
à procura do teu corpo

esta é a casa da infância:
há um bolor onde abro
as gavetas da saudade
e delas saem as facas
desta inocente vontade de te amar
em colchões de pó

a verdadeira terra era a da tua
casa de campo

6 Comments:

Enviar um comentário

<< Home