Um Abismo

domingo, março 09, 2008

ESTAMOS FECHADOS NA VIDA

- sentes, ó divino, o cheiro que me contorna
quando enfio os olhos nos teus lábios e fico uma
borboleta a espreitar a tua mão fechada?
- queres música? ou que lance primeiro o dedo no mapa
do meu corpo?
- tanta terra. são abundantes os teus sulcos
e quero derramar-me, um a um. quero que tu vaciles
entre uma montanha e outra, enquanto escalas
a lâmina da minha carne
para mais tarde caires
17/11/2006

11 Comments:

  • At 1:50 da tarde, Blogger Cometa 2000 said…

    muito forte!

     
  • At 5:37 da tarde, Blogger Tiago Nené said…

    excelente:)

    Tiago

     
  • At 10:50 da manhã, Blogger Fernando Rozano said…

    texto denso e muito intenso. excelente. abraços.

     
  • At 2:40 da tarde, Blogger Betty Branco Martins said…

    querida ___________Luísa


    COLOSSAL.ARRASADOR!!!



    não tenho outras______palavras:))













    beijO c) carinhO
    bSemana

     
  • At 4:42 da tarde, Blogger nuno said…

    eu não me canso de interpretar este corpo inscrito na terra.

     
  • At 10:30 da manhã, Blogger Betty Branco Martins said…

    querida____Luisa



    deixo-te






    uma flor





    um____:))







    beijO c/ carinhO

     
  • At 9:01 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    adeus?
    antónio davage

     
  • At 12:21 da tarde, Blogger O Profeta said…

    O Sol abandonou o céu
    A Lua ironiza no celeste
    Soltas perversas vontades
    Cruzam a tua vida agreste


    Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
    como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

    Bom fim de semana

    Doce beijo

     
  • At 1:50 da tarde, Blogger O Profeta said…

    Passei para te deixar um beijinho...

     
  • At 8:28 da manhã, Blogger Ana said…

    Estar fechado na vida. Dói.

    Estou a descobrir a tua poesia.

     
  • At 7:54 da manhã, Blogger Lyra said…

    "De tudo ficaram três coisas:

    A certeza de que estamos começando,
    A certeza de que é preciso continuar e
    A certeza de que podemos
    ser interrompidos antes de terminar

    Fazer da interrupção um caminho novo,
    Fazer da queda um passo de dança,
    Do medo uma escola,
    Do sonho uma ponte,
    Da procura um encontro,

    E assim terá valido a pena existir!"

     

Enviar um comentário

<< Home